Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Nas últimas semana, pela primeira vez, fui confrontada com uma diferença significativa entre medicamentos genéricos: tanto no preço, como nos efeitos secundários.

IMG_20221003_144447_472.jpg

Recentemente, entrei numa farmácia não habitual para adquirir um medicamento habitual. Foi apenas uma questão de proximidade e urgência.

Não tinham o medicamento do laboratório que costumo adquirir, mas francamente achei que era tudo a mesma coisa.

Imediatamente percebi que não era.

O meu medicamento habitual custava 2 € e o que me estava a ser vendido, mais do dobro: 4.80 €.

IMG_20221003_144500_163 (1).jpg

Paciência, foi o que pensei. Taxa de estupidez por deixar o medicamento acabar.

 

Infelizmente, o medicamento "novo" provocou-me náuseas (um efeito secundário "frequente") e tive de parar.

 

Felizmente, a existência de programas de recolha de medicamentos, permite que não seja lixo.

 

Até muito recentemente, enviava para a AMI, mas tenho-me poupado a deslocação porque a minha farmácia habitual já instituiu uma recolha e faz o reencaminhamento.

 

Em suma, até em medicamentos temos de ser cuidadosos e comparar, caso contrário, podemos correr o risco de pagar o dobro do que é necessário.

Queria partilhar uma excelente compra que fiz este mês. Precisava de comprar umas meias que não fizessem "garrote", ou seja, que não apertassem  no punho (chama-se assim ?).

Capturar (1).PNG

Andei a ver meias para diabéticos e eram todas caríssimas, acima dos €10/par.

 

Entretanto encontrei na Amazon espanhola um lote de 6 pares que, com despesas de envio, ficou por €14, ou seja, €2.30/par.

5 (1).PNG

Um dos pares ficou logo com um buraco a estrear. Não sei se fui eu que fiz muita força e enfiei um dedo onde não devia, se defeito, se má qualidade.

A verdade é que somente um par deu problemas e já lavei meias sem notar que houvesse perda de qualidade, depois da lavagem (no tamanho ou outro).

 

No que respeita ao "garrote", realmente as meias são excelentes. As meias não apertam, nem escorregam. Até a fisioterapeuta reparou logo nelas.

 

Já quanto à qualidade a longo prazo (depois das lavagens), isso não posso garantir.

 

Se conhecerem um produto semelhante por cá, em conta, por favor partilhem. Mais, as meias não precisam de ser anunciadas como "para diabéticos" ou ser apenas para diabéticos, mas para a generalidade de pessoas com pernas muito inchadas.

 

Pontos extra para a Cristina, que não gastou mais €5 em extras inúteis só para atingir os €19 de portes grátis.

E claro, arriscavam a não ser só €5.

 

Este fim-de-semana decidi reler o livro de Pedro Andersson, Contas Poupança, que põe por escrito alguns dos episódios da rubrica televisiva com o mesmo nome. 

 

Primeiro, optei por requisitá-lo na biblioteca. Logo aí, poupei.

 

É um livro muito útil, mas para quem já acompanha o programa e blogs de poupança, é possível que considere que não traz nada de novo. Para quem está a começar é, acima de tudo um bom ponto de partida para reorganizar ideias e a forma como aborta gastos. 

 

Eu própria, que não tinha um telemóvel capaz quando o livro saiu, fui relembrada da aplicação Poupe na Receitaque compara preços de medicamentos, a partir do seu princípio activo. Basta inserir o nome ou fazer o scanner do código de barras. 

 

Antes de mais, descobri que o auto-preenchimento do meu telemóvel se acha com muita piada.

DSC_0157 (1).JPG

Depois prossegui com alguns testes de medicamentos que tinha em casa:

DSC_0154.JPG

DSC_0155.JPG

DSC_0156.JPG

Muito ou pouco, encontrei medicamentos em que poderia vir a poupar:

DSC_0161.JPG

DSC_0162.JPG

 

Recordo-me ainda (embora não tivesse conseguido localizar), de uma reportagem em que uma senhora explicava que quando ia ao/à médico/a, levava sempre uma lista de medicamentos que já tinha em casa. Assim, poderia mostrar e inquirir se as doses que tinha eram suficientes (em caso de repetição) ou se o que já tinha, não era a mesma coisa que já lhe estava a ser receitada. 

 

Parece-me ser bastante útil, especialmente quem tem miúdos e anda sempre a rodar os médicos com aquelas viroses que eles frequentemente apanham.

 

Por exemplo, já cheguei a casa com uma caixa de medicamentos para tomar, que era a mesma que estava a tomar a minha cadela. História verídica. 


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D