Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Este fim-de-semana vi o documentário A história do plástico, graças a uma oferta na página https://zerowastechef.com.

 

O documentário foca uma área que raramente vemos na comunicação social, quando se fala da poluição do plástico: a origem.


Primeiro, 99% do plástico é composto por petróleo. Isso é importante, porque o enfoque do documentário é precisamente a sua origem e esta está nas grandes indústrias de extração de petróleo e indústrias petroquímicas. Grandes empresas que fazem um grande esforço para colocar as responsabilidades ambientais pelo plástico no fim da linha: os consumidores.

 

E o que respondem as grandes empresas, quando são questionadas (num contexto de mercado e accionistas) sobre a diminuição da procura de petróleo nos transportes?

Mais investimento na indústrias petroquímicas, ou seja, plástico.

Em suma, as grandes empresas criam o problema, lucram com ele e nós, os contribuintes, temos de pagar para nos livrarmos dele.

 

Números assustadores:
40% do plástico acaba nos aterros
14% do plástico é incinerado
14% do plástico é reciclado, mas só 2% é "eficientemente reciclado", ou seja, é transformado em algo tão útil com o seu produto original.

 

E os grandes programas de reciclagem? 50% consistiam em exportar para a China.

 

A incineração liberta produtos tóxicos gravíssimos para o meio ambiente e é um negócio em si. E às grandes empresas, compensa-lhes não reciclar e incinerar, porque precisam do plástico para arderem melhor o resto dos produtos.

 

E já agora, as "fábricas de reciclagem" em países pobres, têm este aspecto:

Capturar2.JPG

Capturar.JPG

A solução?

Reduzir a utilização de plástico, porque só quando lhes formos ao bolso, é que eles percebem.

 

Produtos que deixei de comprar:

- água engarrada;

- papel higiénico embalado em plástico;

- rolos de papel de cozinha;

- guardanapos de papel;

- sabonete líquido;

- champô líquido;

- gel de banho.

 

Não foi tudo ao mesmo tempo, simplesmente fui mudando os hábitos, um a um. Iam acabando e eu procurava uma alternativa mais sustentável.

É inevitável pensar no quanto esta pandemia afectou o meio ambiente. Vimos as extraordinárias melhorias na qualidade do ar, sentidas assim que a economia parou: que os carros pararam, que os aviões e navios pararam.

 

No meu dia-a-dia, fui confrontada com a enormidade de sacos de plástico que consumimos, se não optarmos por sacos reutilizáveis.

Os que poderia reutilizar foram sendo atirados para cima do móvel do frigorífico - sacos em quarentena.

2.jpg

Muitos outros, das compras online com frescos, iam sendo descartados para o contentor dos plásticos.

 

Mesmo nas compras na mercearia, não achei que fosse justo, aumentar a ansiedade de funcionárias/os obrigando-as/os a manusear os meus sacos reutilizáveis.

 

Alguns sacos são de Março, mas outros da semana passada. Por isso, agora tenho de colocar umas luvas, enfiar aqueles sacos todos noutro saco maior, para a quarentena final, que será de 30 dias.

 

E confiar na ciência, que me disse que o vírus permanecia em plástico até 27 dias*.

 

Ontem fui, pela primeira vez, a um Continente, desde Março. Levei os meus sacos de compras grandes, onde fui colocando as coisas. Mas não consegui deixar de substituir os sacos com os bacalhaus que a minha mãe comprou.

 

Sinto-me muito culpada, mas vivemos tempos extraordinários e tento lembrar-me disso e ser tolerante comigo própria.

Acima de tudo, tento ter uma perspectiva macro: nesta pandemia, é um luxo poder preocupar-me com o plástico que consumo.

 

* Actualização:

Houve quem comentasse que este prazo (27 dias) não estará de acordo com estudos mais recentes e/ou indicações da DGS.

Eu optei por manter o prazo mais alargado que li, por prevenção.

Eu também optei não lavar sacos porque considero ser um gasto desnecessário de água e energia.

Eu fui muito intencional na forma como formulei este texto: "eu fiz/faço" e não "façam". Da mesma forma que EU não vou à restauração, não uso calçado ou roupa do exterior dentro de casa ou desinfecto as compras.

A informação de que os pacotes de chá libertam microplásticos não é novidade. Mas as conclusões do último estudo, mais ainda se as multiplicarmos por tudo que comemos, vezes o número de pessoas, não são nada animadoras.

 

Depois, através de um microscópio de eletrões, a equipa descobriu que uma única saqueta, à temperatura de confeção (cerca de 95ºC), liberta cerca de 11,6 mil milhões de micropartículas e 3,1 mil milhões de nanopartículas de plástico para a água, nomeadamente de nylon e polietileno tereftalato. Estes níveis são milhares de vezes superiores aos observados noutras comidas, frisam os investigadores. (VISÃO)

 

Foi isso, entre outras coisas, que decidi investir na aquisição de chá Gorreana, que ainda por cima fica mais barato que os chás de saquetas.

... porque estava convencida que só iria sortear em Setembro.

 

Mas quem tem uma Leonor, tem tudo!

 

E só por isso, a menina vai receber um conjunto extra.

Capturar.JPG

Retirei os nomes dos comentários e porque alguns não eram claros, se estavam somente a comentar ou também a participar, optei por ordenar a lista por ordem alfabética e sortear 3 nomes.

 

As vencedoras foram a Carolina Ramos, a Catarina Amorim e a Rute

PARABÉNS!!!

 

Espero que os sacos vos sejam úteis. 

Só vos peço um pouco de paciência para a confecção, porque cá por casa não há férias.

 

Podem ver o vídeo do sorteio aqui

 

Se alguma destas vencedoras não desejar o prémio ou não me contactar, o prémio será entregue ao nome seguinte da lista.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Setembro 2020

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930


Comentários recentes

  • Descontos

    Eu tenho que reorganizar o meu congelador e começa...

  • Descontos

    Eu até acho que vou gastar sem o confinamento. Vol...

  • Descontos

    Realmente isso é curioso. Não tanto o fermento, qu...

  • Anónimo

    São um a fraude...desde os prazos não serem cumpri...

  • Descontos

    Mas são precisamente as experiências pessoais de c...




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D