Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Cinema em casa

28.06.16

Já me esquecia que a RTP continua a ter uma emissão de cinema para férias:

 

Hoje, 00:32 - Sexo e a cidade 2

Quarta, 00:23 - Bridget Jones

Quinta, 00:31 - O novo diário de Bridget Jones

Sexta, 00:15 - Bel Ami

Autoria e outros dados (tags, etc)

Consultar aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Consultar aqui

 Consultar aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Recordam-se de eu dizer, a propósito dos produtos de limpeza, que precisava da "ciência da coisa"? Pois bem, julgo que encontrei a "ciência da coisa" para a utilização de ervas do meu quintal.

1.jpg  

Plantas e produtos vegetais em fitoterapia

A. Proença da Cunha (doutor em farmácia) - Alda Pereira da Silva (médica especialista) - Odete Rodrigues Roque (licenciada em Farmácia)

Fundação Calouste Gulbenkien

 

Bendita biblioteca pública, porque este calhamaço de 700 páginas custa €30.00.

 

A primeira coisa que fiz foi procurar as plantas que possuo, porém nem sempre é fácil perceber a eficácia das diferentes formas de admininstração (óleo essencial, infusão,...). Fica a nota aos autores.

 

Relativamente ao alecrim:

 

"normalizador das perturbações digestivas ligeiras associadas a disfusões hipobiliares, flatulência, anorexia... em balneoterapia, como activador circulatório e anti-reumatismal" 

"infusão (10 min.): 1/2 a 1 colher de chá (2g) por chávena, 2 a 3 vezes por dia"

 

Gostei do "balneoterapia". Já me imagino na banheira com alecrim, a cozer... tipo franga.

 

 

Entre outras informações, para cada planta tem: partes utilizadas, usos médicos, principais indicações, contra-indicações, efeitos secundários e toxixidade, formas de administração e bibliografia. Duas páginas para cada planta, tudo bastante sistematizado e conciso.

 

No que respeita à aveia, interessou-me bastante a seguinte menção:

"aplicação externa: em inflamações da pele, especialmente quando há irritação com coceira... balneoterapia: 100 g de planta para um banho completo. Ferver em 3 litros de água durante 20 min. e juntar o cozimento à àgua do banho."

 

Também procurei a cerejeira, para ver se falavam dos caules das cerejas, que se guardam em casa dos meus pais:

"cozimento dos pendúculos: 30 a 50 g/l. Tomar 1/2 L por dia. Se os pendúculos não são frescos, macerar previamente durante 12 horas." 

 

A ideia é encontrar, por exemplo, uma infusão que seja boa para a garganta, tosses, como alternativa ao elixir dentífrico e coisas do género. Não é tarefa difícil porque as páginas 653 e seguintes têm um índice de doenças/plantas.

 

Francamente, entre os livros que encontrei, este é o que me enche a medidas, pelo suporte científico que contém. Decididamente merece uma visita à biblioteca, se o tema vos interessa.

 

Não é minha intenção abdicar da farmacologia moderna, mas se ajudar, porque não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Consultar aqui

l2.JPG

 

l3.JPGl1.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Consultar aqui

im.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Resumindo, decidi começar a lavar roupa à mão. Não é um grande feito, afinal de contas não é toda a roupa, mas se tiver uma tshirt transpirada não fica na máquina à espera da lavagem semanal. 

 

Os porquês:

- Com a chegada do calor, eu mudo de roupa com muito mais frequência (por vezes, mais que uma vez, num dia);

- Uma boa parte da nossa roupa é lavada com pouca sujidade - depois de ser usada um dia, uma camisa não estará encardida; 

- Eu estou a simplificar/minimizar o meu guarda-roupa; isso poderá traduzir-se num problema de logística - se não for lavada, não tens para vestir; 

- A lavagem mais frequente desgasta a roupa, especialmente a delicada como soutiens, por exemplo.

 

O material:

Quando tomei essa decisão, pensei em fazer isso na banheira (o lavatório é demasiado pequeno) ou comprar uma bacia para o efeito. Porém, rapidamente percebi que a banheira e a banca da cozinha (limpa) serviriam o propósito. 

Eu não tenho estendal, uso as cruzetas da roupa. 

Eu só uso sabão azul.

 

A técnica:

Encho o recipiente de água morna, dissolvo um pouco de sabão azul e coloco a roupa de molho. Aplico sabão e esfrego apenas nas zonas de maior transpiração como o pescoço e axilas. 

Aproveito a água com sabão para um balde (para a sanita).

Enxaguo em água limpa (que tem a mesma serventia da anterior). 

Torço a roupa e penduro-a numa cruzeta para ficar mais direita e dispensar passar a ferro.

 

Gasto cerca de 1-1/2 balde, no total. 

 

E se precisar que seque mais rapidamente, posso sempre utilizar uma toalha para remover o excesso de água.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Junho 2016

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


Comentários recentes

  • Descontos

    Não acredito que isso aconteça, não depois de ter ...

  • Descontos

    Estou a fazer uma leitura partilhada das prémio No...

  • Margarida Costa

    Olá Cristina,Sinceramente, acho que não iremos rec...

  • Gorduchita

    Aí está um livro que não fui capaz de ler, A saga ...

  • Anónimo

    EU SÓ RECEBI UMA DE DUAS E JÁ NÃO VÃO MANDAR MAIS....



subscrever feeds


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D