Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há muito que a ideia dançava na minha cabeça - substituir o papel higiénico por toalhitas de pano laváveis - mas o factor nojo e trabalho adicional, foi constituindo uma barreira.

 

Porém, no último mês, três momentos fizeram-me avançar:

- os incêndios no centro do país, com evidências de que o eucalipto potenciou as suas proporções;

- a leitura do História das Coisas, nomeadamente sobre o impacto ambiental da indústria da celulose; leitura, que imediatamente associei à minha experiência, de cheiro nauseabundo, que sinto sempre que passo em Aveiro (da fábrica de celulose de Cacia) ;

- ler que alguém só utilizava essa solução só para o xixi (pode parecer ridículo mas nunca me tinha ocorrido fazer uma substituição parcial). 

 

A minha preocupação era só uma: ia cheirar mal? A resposta, depois de uma semana de experiência é não! Nada.

 

O Fazer

Antes de mais, não andem a gastar dinheiro em toalhitas. Assim que comentei com alguém que ia experimentar, tive logo que me recomendasse uma pessoa que faz este tipo de produtos. 

Mesmo que não costurem bainhas, depois de umas lavagens, deixa de de desfiar.

 

Inicialmente, utilizei um tecido tipo malha cardada, que na verdade era uma camisa de dormir demasiado puída para ser doada. 

DSCF1041

Cortei (mais ou menos) 30 x 15 cm e fiz uma bainha de zig-zag. Logo nos primeiros dias percebi que não era um tecido muito absorvente. 

 

Então, utilizei um tecido de flanela, e cosi um rectângulo de flanela ao de malha (para não a desperdiçar). Ficaram fabulosos. A flanela é muito absorvente e o outro lado acaba por formar uma barreira.  

 

Seja como for, recomendo que primeiro lavem o tecido, à temperatura que irão lavar as toalhitas, para mingar o que tiver de mingar, antes de costurarem.

DSCF1071

Fiz cerca de 20, para experimentar, mas planeio fazer mais. Descobri, rapidamente, que isso só chega para 3 ou 4 dias.

 

Mas não irei costurar duas faces, porque isso torna as toalhitas mais difíceis de secar no estendal (e no inverno isso sente-me mais).

Prefiro simplesmente pegar em 2 toalhitas de uma vez (no fundo como fazemos com o papel higiénico, quando o dobramos).

 

Organizar

Neste momento, tenho-as simplesmente pousadas na borda da banheira, mas a ideia é fazer um cesto em tecido para as colocar.

Não é para as visitas. Continuo a ter e a utilizar o papel higiénico.

 

Toalhitas sujas e lavagem

 

Para mim, estava completamente fora de questão duas coisas: comprar mais um recipiente (até porque estava na fase de experimentar) e tocar nas toalhitas.

Assim, neste momento (e com muito sucesso), a minha solução low tek é um "balde" feito com um farrafão de 5L de água e um saco de rede para lavar roupa. Pegada ambiental zero e como é transparente, o impacto visual é muito menor.

Simplesmente vou colocando os panos usados no balde improvisado, que por acaso está escondido atrás do balde de inox.

 

Posso assegurar que não deita qualquer cheiro. Há quem use recipientes com líquido, mas não vejo qualquer necessidade de fazer isso.

 

DSCF1074 

Na hora de lavar, simplesmente fecho o saco e vai assim para a máquina de lavar roupa.

Na lavandaria, vai a lavar a água quente, com a restante roupa que lavo a 70ºC.

Em casa, coloco no balde com água a ferver + vinagre e deixo algumas horas. Depois, coloco na mini máquina com a restante roupa e lavo com detergente (40º - 50ºC).

 

A experiência

Acreditem, depois de utilizar tecido é impossível voltar ao papel. Um luxo que recomendo.

 

Então? Curiosas/os para experimentar ou acham muito nojento?

 

 

Para cada rolo de papel higiénico, é gasto 1% de uma árvore.

Ou seja, uma árvore só dá para 100 rolos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quando publiquei o post sobre os meus detergentes, imaginei de imediato que me seria perguntado quais as minhas receitas. 

 

Antes de mais, advirto que não tenho conhecimentos de química. Estes são os produtos que EU utilizo, depois de tomar uma decisão que considerei ser suficientemente informada. 

 

Como já referi em ocasiões anteriores, eu preciso da "ciência" por detrás destas formulas que circulam na internet e por isso procurei estudos publicados em revistas científicas.

Aqui ficam as minhas conclusões, sobre o que li:

 

Vinagre e sumo de limão

As propriedades antimicrobianas do vinagre (maiores neste) e sumo de limão são associadas com o seu teor de ácido cítrico e ácido acético, respectivamente. As utilizações com água quente aumentam as suas propriedades antimicrobianas.

Não se devem misturar com lixívia devido ao risco de gazes tóxicos.

 

Bicarbonato de sódio

Tem propriedades antifungicidas, associadas ao que pode ou não florescer num PH baixo. Há um estudo que aponta como um ingrediente possível para a limpeza de superfícies na cozinha.

É excelente para amolecer produtos queimados em tachos.

 

Panos microfibras

Não possuem propriedades antimicrobianas, mas são eficazes na limpeza. Porém, há que ter cuidado para não contaminar (panos sujos não limpam, sujam). Há cuidados a ter com a sua lavagem: por exemplo, não utilizar amaciadores da roupa ou lixívia.

As microfibras são um problema ambiental:

- ao lavarmos os panos, estamos a libertar microfibras(microplásticos) para os oceanos;

- quase todos são não biodegradáveis.

 

Álcool

Ainda estou a estudar este ingrediente: por um lado tem propriedades antimicrobianas, por outro, são limitadas e de curta duração. Porém, é bom em gorduras e o facto de evaporar, ajuda na secagem.

 

Água oxigenada

É a melhor a limpar germes, um excelente fungicida, mas não é um ingrediente "estável" para ser utilizado em diferentes embalagens (por exemplo um vaporizador).

Não encontrei informações informações sobre a segurança deste ingrediente para superfícies delicadas embora, pessoalmente, não tenha problemas em utilizá-la em cerâmicas, louças sanitárias e até na limpeza de bolor em paredes e tectos (diluída em água). Os fabricantes recomendam-na como agente de limpeza de tecidos. 

Não encontrei informações sobre a proporção ideal de diluição, para que não perca a sua eficácia.

Basicamente, neste momento, penso na água oxigenada como uma espécie de lixívia, mas não utilizo nas pedras ou madeiras.

Se, por exemplo, estiver a cortar carnes cruas, depois lavo a banca (inox) com água oxigenada ou lixívia.

 

 

Sugestões de leitura:

Effectiveness of Alternative Antimicrobial Agents for Disinfection of Hard Surfaces

Hard surface cleaning performance of six alternative household cleaners under laboratory conditions

Functional Properties of Vinegar (acesso limitado)

The effectiveness of three home products in cleaning and disinfection of Staphylococcus aureus and Escherichia coli on home environmental surfaces (acesso limitado)

Efficacy of antimicrobials for the disinfection of pathogen contaminated green bell pepper and of consumer cleaning methods for the decontamination of knives (acesso limitado)

 

 

DETERGENTE PARA GRANITO E MÁRMORE (e outras superfícies mais delicadas)

1/4 copo de álcool

1/2 L de água

1 c.(chá) de líquido da louça

 

Vi esta receita na internet, mas confesso que agora não encontro a minha fonte (encontrei dezenas de páginas com o mesmo). 

Basicamente é o detergente que utilizo em superfícies que em que não convém utilizar produtos corrosivos/ácidos, como é o balcão da cozinha em granito e o tampo do lavatório, em mármore, da casa de banho. 

O álcool (ou vodka) serve como agente desinfectante e o líquido da louça serve como desengordurante. 

 

Na cozinha, utilizo em quase todas as superfícies, desde o laminado, à madeira, e ao inox.

 

DETERGENTE PARA O CHÃO DE CERÂMICA (sem lixívia)

Meio balde de água

vinagre de limpeza (+- o equivalente a duas chávena de café)

detergente da louça (+- o equivalente a uma colher de café)

 

DETERGENTE PARA O CHÃO DE CERÂMICA e LOUÇAS SANITÁRIAS (com lixívia ou água oxigenada)

Meio balde de água

lixívia ou água oxigenada (+- o equivalente a duas chávena de café)

detergente da louça (+- o equivalente a uma colher de café)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ocorreu-me que falta a este blog uma rubrica em que identificamos os produtos de marca branca que são melhores que os "originais".

 

 Acho que há duas razões para isso não acontecer: subjectividade da opinião e eu ter de relembrar em todos,que não é publicidade, que paguei com o meu dinheiro, que não recebi cabazinho com o produto, etc...

 

Mas não me esqueci - hoje especialmente - que foi aqui, graças a uma de vós, que passei a usar uma farinha para a máquina de fazer pão (Pérola) que, não sendo marca branca, custa quase 1/3 do preço da que usava. Gabei a marca e recebi em troca uma dica de poupança.

 

Quando penso na "batalha" marca vs. marca branca, estes dois produtos vêm-me imediatamente à mente. Prefiro-os em relação a qualquer outra marca que exista.

DSCF2137.JPG

 Compro quando está em promoção: €3.99 (Lidl). 

Estou a resistir à tentação de fazer a piada fácil, relativamente ao rabinho que aprova esta mensagem.

 

DSCF2136.JPG

 

Para mim, melhor que a marca Cuétara (que sempre foi a marca que associei a estas bolachas), por me parecer ter menos gordura e, por isso, menos enjoativa. 

 

Quais são os vossos produtos preferidos de marca branca?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Começo pela advertência: no que respeita a ingredientes em de pastas de dentes já tudo e o seu contrário. 

 

Por exemplo, eu faço uma pasta de dentes que tem como ingrediente o bicarbonato de sódio e já li que tal poderá danificar o esmalte. Há quem utilize esta pasta de dentes em alternância com a normal, para branqueamento. Há quem defenda o flúor e há quem o conteste.

 

A minha escolha não tem de ser a vossa.

 

DSC_0008.JPG 

 

Pasta de dentes caseira

20 gr de infusão de salva (eu uso cerca de 2 c. sopa de salva seca) 

20 gr bicarbonato de sódio

20 gr de argila branca 

5 gotas de óleo de hortelã pimenta bio (facultativo)

 

Coar a infusão com papel de cozinha ou gaze. Misturar bem todos os ingredientes, desfazendo os grumos que possam surgir com uma colher.

No final, adicionar umas gotas de óleo essencial de hortelã pimenta, se desejarem um pouco de sabor familiar.

 

Eu faço pouco de cada vez, dá para cerca de 10-15 dias, para uma pessoa.

higienecaseira (1).JPGhigienecaseira (4).JPG

 

Custo das embalagens dos ingredientes:

Bicarbonato de sódio, 450 gr (na farmácia) - €1.97

Argila branca, 250 gr (na ervanária) - €1.95

Saco de folhas de sálva (na ervanária) - €1.70

óleo de hortelã pimenta bio (na ervanária) - €16.23

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


Comentários recentes

  • Anónimo

    Verifiquei agora que essa instituição tem muitas l...

  • Anónimo

    Comigo funcionou assim (ontem, 3a feira):Lego 1 - ...

  • Diana

    Às tantas vou dizer algo de que já tem conheciment...

  • Descontos

    R. José Mariani, perto da estação de Devesas.

  • Anónimo

    esta fica onde?onde ia mudou-se para o porto...




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D