Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pode parecer ridículo que tenha chegado a esta conclusão apenas agora, mas a verdade é que há uma forma muito rápida de poupar dinheiro em coisas supérfluas (para quem tem esse problema): não o gastar. 

 

Claro que até aqui estão a pensar que entrei na hora da parvoíce. Mas eu refuto que não gastar também é uma arte e que pode ser aprendida, aprimorada e elevada ao mais alto nível. E, quem sabe, dar equivalência a um qualquer grau académico.

 

Cheguei à conclusão de que é importante não gastar, quando compreendi que mesmo os pequenos valores gastos determinam uma conta elevada no final do mês.

 

Dias sem compras

 

Ao ter atitude de evitar passear, durante a hora de almoço, pela zona comercial, ao evitar passear pelo shopping da cidade, eu consegui poupar muito dinheiro. Nos dias laborais, é raro não levar o almoço, a minha garrafa térmica e um lanche (tenho sempre umas bolachas na gaveta); desloco-me de casa para o trabalho e do trabalho para casa e como tal, os dias de gasto zero são bastante frequentes. No fim de semana, só saio quando preciso (mesmo).

 

Se sair, sei que há sempre um jornal ou revista que se compra, um acessório de cabelo giro (para a sobrinha) a que não consigo resistir, uma qualquer-coisa-porque-estava-barato.

 

Mas façamos as contas. Imaginem que apenas compro uma revista/jornal por semana, dois acessórios de cabelo num mês, um lanche na pastelaria por semana e um almoço por semana. Não parece muito pois não? 

 

(1,10 x 4) + (2 x 1,50) + (2,20 x 4) + (5,00 x 4) = €36.20

 

E sem almoços são só €16.20Mas com esse dinheiro posso comprar: 

 

6 pacotes de leite, 12 ovos, 2 frangos, 1/2 kg de pescada congelada, 2 latas de atum, 1 kg feijão branco, 1 kg de feijão frade, 1 kg de carapau fresco, 1 kg de bananas

 

Agora já parece muito, não é?

 

Mais, se esse dinheiro pode ser "investido" num momento de lazer mais interessante que ver montras.

 

 

Eliminar alguns produtos

 

Vivemos numa idade de consumismo e de competição desenfreada entre marcas. Recordo-me constantemente do fantástico texto da JonasNuts. Foi a partir dessa data que comecei a simplificar as coisas. Deixei de ser fiel a muitas marcas porque comecei a ser mais crítica em relação ao que comprava: pasta de dente é pasta de dentes. 

 

Por isso, fui eliminando alguns produtos e a valorizar a simplificação das coisas: a comida processada foi eliminada (lasanhas são feitas e congeladas por mim, o mesmo com pizzas). O detergente que uso para lavar a banca da cozinha, o balcão do lavatório da casa de banho são o mesmo: umas gotas de detergente da louça diluídas em água, numa garrafa com spray que reutilizei.

 

Aos poucos, vou eliminando determinados produtos da minha lista de compras, simplificando-a e assim ficando menos dependente de promoções e de gastos desnecessários.

 

Possuem dicas para partilhar, sobre o não gastar?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00


46 comentários

Sem imagem de perfil

De CLAUDIA a 15.11.2012 às 21:13

Posto isto nada melhor que:
BLACK FRIDAY NA FNAC
http://www.fnac.pt/Black-Friday-Countdown/s159131?bl=HGACBlackFridayNov12
Sem imagem de perfil

De Rui a 15.11.2012 às 21:33

E este: http://www.youtube.com/watch?v=mrrxvTt_0lo

http://www.promofans.pt/
Sem imagem de perfil

De Margarida a 15.11.2012 às 21:16

Um texto excelente, Cristina, com o qual me identifico plenamente. Obrigada pelas suas partilhas constantes.
Sem imagem de perfil

De maria neves a 15.11.2012 às 21:44

Sim é verdade , passear em zonas comerciais é uma verdadeira ameaça á nossa carteira, não sou muito de comprar roupa ou sapatos, gosto , mas nos tempos que correm só mesmo quando é preciso.
Em casa , optei ultimamente por colocar duas velinhas na casa de banho, a partir das 6 horas porque sempre se poupa alguma luz(menos uns cêntimos que saem do bolso), e acaba até por ser agradável.
Imagem de perfil

De Descontos a 15.11.2012 às 22:07

Acho isso uma excelente ideia. Aliás, quando está muito frio, vou para a cama mais cedo com o portátil. Assim, fica só um aquecedor ligado e posso desligar as luzes e trabalhar com o portátil apenas com uma lâmpada que se liga ao portátil e uma vela.

Mas poderia ajudar-me? Eu uso aquelas velas tipo lamparina. Mas acho que se gastam muito rapidamente. Há algum tipo de velas mais durável e que não "deite" muito cheio?
Sem imagem de perfil

De maria neves a 15.11.2012 às 22:28

Eu comprei um saco no Lidl com 50 velas sem cheiro brancas dão pelo nome de tealigts e duram mais ou menos três horas talvez mais um bocadinho .
Imagem de perfil

De Teresa a 16.11.2012 às 21:01

Também uso a tactica das velas para poupar na luz :)
Sem imagem de perfil

De Sandra a 15.11.2012 às 23:15

No continente tb existem as tealights 100 unidades a 4.99€.
http://www.continente.pt/ProductDetailMain.aspx?productId=4050375&CategoryPath=4&CategoryName=%20&SubCategoryName=&PageIndex=1
Sem imagem de perfil

De Sandra a 16.11.2012 às 22:12

Vi hoje no Pingo Doce 100 velas tealight por 3.49€!
Fica mais barato q no Continente!
Sem imagem de perfil

De MJMG a 15.11.2012 às 21:25

Vão-se rir, mas sabe que eu fico contente, quando chego ao final de uma semana de trabalho e não gastei um cêntimo! É óbvio que não estou aqui a contar com as despesas fixas a que uma casa obriga, ou despesas de saúde. Mas a esse tipo de "comprinhas baratinhas" que depois no conjunto se transformam num gasto elevado, ou inclusive nas compras de mercearia, porque também faço stock, e por isso quase me limito a comprar só nas promoções.

Agora dicas, provavelmente muitos já as usam:
- cortar a pasta de dentes a meio, quando já não conseguimos espremer mais nada, ainda conseguimos lavar os dentes mais 4 ou 5 vezes;
- utilizar a escova de dentes antiga para limpezas em espaços pequenos;
- compro pão e se não for "bijou" corto em fatias, para ir tirando no dia-a-dia para levarmos para o lanches da manhã e da tarde, bem como o café para os termos;
- e a roupa? se às vezes lhe acrescentarmos um detalhe, como por exemplo um alfinete, ou uma fita de cetim fica logo com outro aspecto;
- e as prendas de natal? Posso dizer-vos que este ano comprei livros entre 1 a 3€ como novos, numa feira de natal de uma instituição, e faço questão de colocar uma nota onde os adquiri!
- e as decorações de natal? tenho o hábito de guardar tudo o que é fitinha, caixa, papel, (...), este ano lembrei-me de "criar" as decorações sem gastar um cêntimo, tudo muito caseiro!

MJMG
Sem imagem de perfil

De maria moura a 15.11.2012 às 21:38

ola boa noite nao sei porque mas cada vez gosto mais deste blog ja nao passo um dia sem vir ver as novidades varias vezes ao dia
Imagem de perfil

De Descontos a 15.11.2012 às 22:00

Quer uma listinha? Eu posso fazer uma listinha com uma série de porquês ;)
Sem imagem de perfil

De maria moura a 15.11.2012 às 22:25

adoro este blog pois ajuda nos muito no dia a dia
espero que continue assim a ajudar a poupar
boa continuaçao bjinhos para todos
se nao fosse este blog eu nunca saberia as novidades
Imagem de perfil

De Descontos a 15.11.2012 às 21:57

Adorei essas ideias!
Sem imagem de perfil

De maria moura a 15.11.2012 às 22:32

eu tambem tenho semanas que nao gasto um centinmo porque na zona onde vivo nao ha supermercados nem lojas nem mercearias
so passa o padeiro todas as manhas e o peixeiro 2 vezes na semana mas nem a esses compro nada
nem vou ao cafe tenho maquina em casa e so vou as compras de quinze em quinze dias
Sem imagem de perfil

De Maria a 15.11.2012 às 21:38

Olá,

Eu não sei ser de outra forma, fui habituada a viver com pouco e a consumir ainda menos. Soube dar o devido valor às coisas desde muito cedo. Mesmo quando trabalhei no centro da cidade, perto de shoppings e comércio nunca me tentei, pois sempre me deu mais prazer poupar do que gastar. Para além da poupança na vertente mais consumista também gosto de poupar a natureza, o ambiente, tento obter a melhor harmonia possível. Agora está na "moda" mas há mais de 20 anos atrás quando comecei a trabalhar a sério e mesmo na faculdade, posso dizer que não encontrei muitas pessoas como eu, pelo contrário, por vezes fui alvo de curiosidade e afins, se é que me entendem. Não era muito chique ir de tuppeware com sopa e fruta, estava na moda ir ao restaurante. Mas, como se diz na gíria actual, nuna fui "carneiro" e sempre pensei pela minha própria cabeça e não me deixava afectar pois estava segura de estar certa. Agora fala-se muito em reaproveitar águas, por exemplo, eu sempre fiz isso, de várias formas, uma delas, desde que me conheço, que encho um balde de água antes que a água do esquentador aqueça, antes do duche, longe de mim ver aquela água escapulir-se pelo ralo abaixo , acho que ficava doente. Exemplos de poupança/arte de não gastar podia dar muitos, hoje muito mais do conhecimento e prática geral mas que há uns anos ninguém ou muito pouca gente dava importância. Esta falta de cultura de poupança aliada ao consumismo exacerbado muito contribuíram para o estado actual da economia e sociedade portuguesas. Mais uma vez, bem haja (m) por este cantinho!
Sem imagem de perfil

De Lídia a 15.11.2012 às 21:40

Muito bom o seu texto que reflete sobre a realidade nua e crua do nosso consumismo entranhado!

Revi-me perfeitamente na situação descrita dos pequenos consumos que estragam a nossa gestão... Agora, graças a este blog, estou muito mais atenta!

À semelhança do exemplo do detergente para a bancada, posso referir algo de simples que faço agora (e que incompreensivelmente não me ocorria dantes):

O gel duche (mesmo aquele que foi comprado numa belíssima promoção como no L6P1) deve ser bem rentabilizado. Colocá-lo num recipiente com dispensador permite fazer duraaaaaaar mais o produto.
Quem já não utilizou, num único duche, uma grande quantidade que foi quase direitinha engolida pelo ralo, sem ter cumprido a sua função?
Quem tem crianças/adolescentes em casa sabe que isso é também frequente..
E o produto, usado desta forma, dura pouco, muito pouco.. E não significa um maior poder de limpeza!

Poupar é não gastar!
E não gastar é FAZER DURAR MAIS o que temos!

Imagem de perfil

De Descontos a 15.11.2012 às 22:02

Eu faço isso com o sabonete líquido!
Sem imagem de perfil

De Santos a 15.11.2012 às 21:44

Essa também é a política cá de casa.
Prefiro não comprar uma série de coisas não-prioritárias e acumular para uma ida ao teatro, ou um passeio de fim-de-semana.
Com a moda dos ordenados mínimos, aposto que há cada vez mais gente a seguir esta política.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.11.2012 às 22:03

Eu e o meu marido rasgamos os guardanapos ao meio e dá metade para cada um! Chega perfeitamente! Lol
Sem imagem de perfil

De Cláudia a 15.11.2012 às 22:53

Eu não rasgo ao meio mas faço uma coisa parecida. Comprei guardanapos de folha dupla com 75% desconto há pouco tempo e e divido as folhas do guardanapo. Conseguem-se separar bem uma da outra e assim de um guardanapo fico com 2 e serve perfeitamente!
Imagem de perfil

De Descontos a 15.11.2012 às 23:00

Eu uso guardanapos de pano. Os de papel só levo para o trabalho porque assim servem para limpar a boca e embrulhar os talheres sujos
Sem imagem de perfil

De Andreia B. a 15.11.2012 às 23:18

Eu também usava de papel e já há muito tempo troquei pelos de pano e notei logo diferença na quantidade de guardanapos que tinha que comprar. Sim, porque para visitas, para um piquenique, ou para aquelas comidas mais "sujentas" como frango assado, uso os de papel...Mas no dia-a-dia de pano.
Sem imagem de perfil

De Joana P a 16.11.2012 às 09:48

Eu tambem rasgo os guardanapos ao meio...lá em casa gozam, mas eu não quero saber, sou eu que os compro!! e digo: "inteiros só qdo temos convidados!" :)
Sem imagem de perfil

De NãotemblognoSAPO a 15.11.2012 às 22:55

É verdade... Há cerca de cinco anos atrás era menina para gastar entre 20 a 25 euros por semana em almoços na escola... Depois comecei a fazer as contas e fez-se luz... Comecei a utilizar esse dinheiro de forma muito diferente... Livros, bilhetes para concertos, peças de teatro... Coisas que vão ficar-me na memória durante muito mais tempo do que um almoço no Macdonals num dia qualquer da semana...

Em primeiro lugar, saia quase sempre sem dinheiro... Agora já me habituei e o mais frequente quando até quero mesmo uma coisa e tenho dinheiro comigo ficar a debater-me até chegar à conclusão que não é assim tão importante...

Comprar roupa é um filme, porque sou muito esquisita e, honestamente, prefiro gastar mais dinheiro numa peça que tenho certeza que vou adorar durante muito tempo... A minha melhor compra em termos de vestuário foi uma gabardina beje, como as que se usam agora, que custava cerca de 60 euros... Nos saldos desceu para 15, eu tinha algum saldo no cartão da loja, descontei e, voila, gabardina da moda a menos de 10 euros... Já tem uns dois anos e continuo a adora-la... :)
Sem imagem de perfil

De Andreia B. a 15.11.2012 às 23:33

Uma coisa que tenho aprendido e de que tenho que me relembrar constantemente, é perguntar a mim mesma:"Preciso mesmo disto, ou quero isto?".

Isso ajuda-me a conter os gastos, sobretudo, nessas tais coisas pequeninas que custam pouco e por isso, podemos trazer...

Uma coisa que faço em relação à poupança de água, é usar dois baldes na banheira. Mas eu não só aproveito a água que está a aquecer, como a própria água do banho em si... Se fizerem isso, vão ficar estupefactos com a quantidade de água que gastam num duche e olhem que eu não deixo a torneira aberta enquanto me ensabo-o. Segue para usar no autuclismo.

A água de lavar roupa à mão, tem o mesmo fim.

A água de lavar legumes, segue para a horta e vasos.

Resultado: Menos 5€ na factura a cada mês, menos 60€ ao final do ano.

Outra coisa que fiz, foi em relação às garrafas de água. Eu bebo muita água, mesmo durante o trabalho e passava a vida a comprar garrafas de água, que tinham de ser mudadas com frequência, por motivos óbvios. Pois, fartei-me da parvoeira e comprei uma daquelas garrafas que os caminheiros e campistas usam, de 1L e parece que não, já poupei nisso.

Suponhamos que comprava uma por semana, à volta de 0,08€... Ao final do ano são 3,84€, não parece muito, mas já dava para comprar 1Kg de Febras...LOL

Outra coisa que faço é com respeito a cozinhar... Por exemplo, em vez de fazer arroz todos os dias, faço a mais, para durar pelo menos 3 dias... Isso permite poupar no gás. Com respeito aos gás, verifiquem se os vossos bicos deitam lume a mais, desnecessário. Os meus são fraquinhos, e acreditem, na minha casa o meu gás, dura, dura... Que às vezes digo na brincadeira que devo ter alguma canalização de gás aqui escondida e não sei.

Para quem pratique algum desporto. Aproveitem a ida ao ginásio e à piscina, para no fim tomarem banho (poupam água em casa) e fazer a barba lá (poupam água em casa, mais uma vez).

Mesmo numa ida ao restaurante, quando é possível, podem sempre ser criativos e pouparem um pouco. Eu e o meu marido, ultimamente optamos por fazer o seguinte: Comemos uma entrada que seja mais acessível, depois em vez de pedirmos uma dose para dois, ou pedirmos duas doses individuais, pedimos uma dose individual... Ficarão surpreendidos de descobrir, que depois de comerem a entrada e partilharem a dose, vão ficar satisfeitos. No fim partilhem a sobremesa, ou melhor, usem o dinheiro que iam dar nela, e comprem fora do restaurante uns gelados ou assim, pois fica mais barato...

Bem, podia continuar, mas a lista era infindável...hehe

Posso parecer muita radical, mas grão a grão...

Sem imagem de perfil

De lídia a 16.11.2012 às 08:03

Para poupar na confeção da massa:

- colocar a massa na panela em água a ferver
- deixar levantar fervura
- tapar bem o panela
- desligar o fogão

10/15mn depois, verificar se está cozida
Se não, voltar a ligar para levantar fervura e desligar novamente.

Experimentar e ajustar consoante o tamanho e a qualidade da massa

Poupa-se bastante em gás/eletricidade.
Imagem de perfil

De Descontos a 16.11.2012 às 20:28

Acredita que eu só soube que poderia fazer isso há cerca de dois meses? Surreal, é que nunca tal coisa me tinha ocorrido.

Agora faço-o com frequência e resulta mesmo.
Sem imagem de perfil

De Lídia a 16.11.2012 às 21:25

Eu também não utilizo esta "técnica" há muito tempo. Agora, vejo que desperdicei muito gás durante muitos anos, pois a massa quase que coze sozinha!

Quando comprei a minha placa de indução, estive a reaprender a cozinhar (tempos de cozedura de alimentos, sobretudo) e a fazer pesquisas para a rentabilizar bem, para não desperdiçar energia.
Foi então que coloquei esta medida em prática.
Já não era algo de novo, pois já o tinha visto fazer uma vez em casa de uma colega há muito tempo, mas, como não a tinha interiorizado, andou esquecida tantos anos.

Comentar post


Pág. 1/2



Anúncios Google



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


Livro de preços

Favoritos



Anúncio Google


Anúncio Google



Comentários recentes

  • Descontos

    Essa de grelhar carne é de génio!Nunca me tinha oc...

  • Descontos

    Faz muito bem. Eu é que, com as obras desde o verã...

  • Ariana

    Quanto ao líquido do assado:Eu congelo para usar c...

  • Mon Mendes

    Atrevo-me a dizer que pode parecer cedo mas só par...

  • Descontos

    Obrigadão, já publiquei. E queimei o fervedor do l...



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D